fbpx
domingo, novembro 28, 2021
spot_img
InícioRedes SociaisMetaverso é o futuro da internet?

Metaverso é o futuro da internet?

Nos últimos meses você deve ter ouvido falar de algo chamado metaverso. Talvez você tenha lido que o metaverso vai substituir a internet ou que todos devamos morar lá. Calma, não é bem isso.

Esse assunto veio a tona, principalmente no mês passado, em que o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que estava mudando o nome da empresa para Meta e declarou o metaverso não apenas o próximo capítulo da empresa, mas “o próximo capítulo para a Internet.”

Mas, não se sinta perdido com todas as especulações que você leu por aí, todos estão tentando dar alguma definição para o metaverso, mas é muito difícil tentar explicar algo que, necessariamente, ainda não existe.

Se ele não existe, então o que é metaverso?

Apesar de o metaverso falado nos últimos tempos ainda não existir de fato, a palavra e o conceito não são novos. Neal Stephenson cunhou o termo metaverso (metaverse, em inglês) em seu livro de ficção científica de 1992, Snow Crash , onde as pessoas usam avatares para explorar um mundo online e interagiam em um espaço virtual tridimensional – para escapar de uma realidade distópica. No entanto, o metaverso está longe de ser matéria de ficção científica.

Desde então, desenvolveram-se vários pequenos metaversos, onde as pessoas se encontram, jogam e se divertem em um mundo virtual. Essa seria uma boa definição: mundos virtuais que, quando você está dentro deles, parece que você está em uma espécie de videogame do futuro. 

Mas é muito mais do que um jogo, porque é como a internet, em que você está socialmente conectado. 

Então, será que daqui uns anos você vai começar a verificar seu feed Instagram com um par de óculos de realidade aumentada? Seus amigos irão convidá-lo para um barzinho cibernético? Mas, como disse Zuckerberg: “a melhor maneira de entender o metaverso é experimentá-lo você mesmo, mas é um pouco difícil porque ainda não existe totalmente”. 

O que o Facebook (quis dizer Meta) tem a ver com o metaverso?

Mark Zuckerberg Meta

Zuckerberg, descreveu o metaverso como uma “Internet incorporada” que, ao contrário da Internet de hoje, dá uma “sensação de presença”. Durante o evento Facebook Connect 2021 ele disse: “O metaverso é um conjunto de espaços virtuais onde você pode criar e explorar com outras pessoas que não estão no mesmo espaço físico que você.”

A visão do Facebook sobre o metaverso é como nossa futura interface com a internet. Mas se algum dia iremos acessar todos os serviços da Internet por meio de mundos virtuais 3D e fones de ouvido de realidade virtual, ainda não se sabe.

Mas, isso afeta nossas vidas ou não devemos nos preocupar com isso por enquanto?

Como acontece com qualquer grande visão de um futuro que ainda não existe, muitas pessoas estão tentando dar suas próprias definições do metaverso. Essa são algumas especulações:

1. Um mundo virtual: nessa definição, você pode explorá-lo usando um computador, console de jogos, celular ou outro dispositivo, experimentando gráficos 3D e som ao longo do caminho. A ideia é que isso o faça se sentir mais presente no metaverso e, presumivelmente, menos presente no mundo cotidiano.

2. Realidade virtual: você precisa de um fone de ouvido de realidade virtual para isso. A ideia aqui é que você mergulhe no mundo virtual, para se sentir ainda mais presente – ou até esbarrar em algo, ou alguém que permanece no mundo real, como a mesa de centro.

3. Outras pessoas: o metaverso é social. Há muitas outras pessoas lá, representadas como avatares. Alguns desses avatares podem ser bots, agentes virtuais e manifestações de inteligência artificial. Você pode sair com outras pessoas ou até mesmo fazer coisas juntos. O aspecto social provavelmente será central no metaverso do Facebook.

Alguns pesquisadores acreditam que a comunicação pode ser mais natural do que a videoconferência porque, por exemplo, você pode usar o olhar para mostrar a quem está se dirigindo (seu avatar pode virar a cabeça para olhar para outra pessoa). Seu avatar também pode se aproximar e sentar ao lado do avatar de outra pessoa para iniciar uma conversa.

4. Estar presente sem realmente estar: isso significa que o mundo virtual está disponível sempre que você quiser visitá-lo. Você pode alterá-lo adicionando novos edifícios virtuais ou outros objetos e, o mais importante, as alterações permanecerão no lugar na próxima vez que você visitar. O metaverso contará com o conteúdo gerado pelo usuário — suas criações digitais e histórias pessoais — da mesma forma que a mídia social faz hoje.

5. Conexão com o mundo real: em algumas visões do metaverso, as coisas virtuais no mundo virtual, na verdade, representam coisas reais no mundo real. Por exemplo, você pode pilotar um drone virtual no metaverso para dirigir um drone real no mundo real. As pessoas falam sobre o real e o virtual como sendo“gêmeos digitais”.

Como funciona o metaverso e o que é possível fazer lá?

As possibilidades são infinitas. Nesse novo universo online, você poderá se socializar ou se encontrar com outras pessoas, e sentir que realmente está com eles pessoalmente. Você poderá aparecer em uma reunião real como um holograma ou jogar xadrez com alguém em todo o mundo em um tabuleiro de xadrez virtual sobreposto ao mundo real. 

E pasmem, jogar em um metaverso pode estar mais próximo do que imaginamos, ou poderia arriscar que, até certo ponto, algumas pessoas já jogam no metaverso, como em jogos do Fortnite, que o jogador pode entrar em um bate-papo com amigos em uma plataforma de console e iniciar um jogo com eles. 

Outro exemplo são em jogos como Minecraft e Roblox mostram como metaversos que fornecem blocos de construção relativamente simples podem aproveitar os efeitos de rede e a criatividade do jogador para produzir uma grande variedade de criações in-world. Essa já é uma realidade, principalmente para as gerações mais jovens.

Podemos ir além: pense no aplicativo Uber informando, por meio de dados de localização, a distância do carro. Pense em como a Netflix mede o que você assistiu antes para fazer sugestões. 

Mas, lembre-se: o metaverso é um projeto em fase inicial, e que tudo o que se fala sobre ele são projeções. Por isso, chegamos a conclusão que o metaverso é difícil de explicar por um motivo: ele não existe necessariamente. 

O metaverso vai mesmo virar realidade?

Então, será que daqui uns anos você vai começar a verificar seu feed Instagram com um par de óculos de realidade aumentada? Seus amigos irão convidá-lo para um barzinho cibernético? Mas, como disse Zuckerberg: “a melhor maneira de entender o metaverso é experimentá-lo você mesmo, mas é um pouco difícil porque ainda não existe totalmente”. 

Não é possível garantir que o metaverso se concretizará. Antes de ser uma realidade, vários aspectos da tecnologia vigente precisam mudar, incluindo uma internet ultrarrápida e de baixa latência. 

Portanto, seja em realidade virtual, realidade aumentada ou simplesmente em uma tela, a promessa do metaverso é permitir uma sobreposição maior de nossas vidas digitais e físicas em riqueza, socialização, produtividade, compras e entretenimento. 

O que você acha que é o metaverso? Concorda com nossa definição e de tantos outros por aí? Conta sua opinião aqui nos comentários.

Seja o futuro!

E, se você quiser estar por dentro do universo digital e colocar em prática o marketing digital 5.0 no seu negócio ou carreira profissional, tenho uma notícia: a Staage pode te ajudar a dar o próximo passo para o futuro.

Na Staage, você vai aprender, através de um conteúdo incrível como Thiago Nigro, Joel Jota, Bruno Perini, Breno Perrucho, Ju Fraccaroli, Roberta Santos, Philip Kotler – o pai do marketing, entre outros convidados INCRÍVEIS a dominar as principais competências de marketing, como: copywriting, tráfego, growth, vendas, Instagram, comunidade, lançamentos, podcasts e muito mais. 

Conheça a Staage e transforme sua vida com o marketing digital de maneira acessível, em um único lugar e com as melhores referências no assunto. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

MAIS LIDAS