fbpx
domingo, novembro 28, 2021
spot_img
InícioTráfego DiretoO que é tráfego direto no marketing digital?

O que é tráfego direto no marketing digital?

Quer entender melhor como usar o tráfego direto no marketing digital? Separamos as melhores dicas para você otimizar os seus processos e alavancar a sua marca na internet. 🎯

Um dos muitos aspectos fascinantes do marketing digital é que há uma série de canais que podem ser usados para atrair consumidores, estabelecer relacionamento com os clientes, aumentar o tráfego no site e, principalmente, vender mais. Um desses canais é o tráfego direto.

Se você acessar sua conta do Google Analytics, notará uma grande quantidade de tráfego e conversões atribuídas a “Direct”. 

Conseguir tráfego direto para seu site é indiscutivelmente a tarefa mais difícil – e mais importante. Um site sem tráfego não gera visitas – e, por consequência, também não gera leads, oportunidades e vendas, ou seja, sem audiência nenhum negócio pode caminhar em direção ao sucesso. Imagina ter uma página e ninguém visitá-la? De nada vai adiantar, não é mesmo?!

Um site, blog, e-commerce ou rede social que apresenta um bom fluxo de acessos, certamente, resultará em mais vendas. Isso porque o aumento das visitas pode promover melhor posicionamento, engajamento, geração de leads, e claro, mais conversões. Pois, os usuários que fazem parte do tráfego direto é bastante qualificado para conversão em vendas, uma vez que ele já conhece o seu projeto, a sua marca e, provavelmente, se interessam e confiam.

Além disso, com uma boa estratégia de tráfego, as pessoas podem encontrar mais facilmente o seu site a partir das mídias sociais, de um artigo em outro blog, de um link patrocinado na primeira página do Google ou mesmo digitando o seu endereço no navegador.

Quer entender melhor como usar o tráfego direto no marketing digital? Então, continue a leitura, pegue papel e caneta, pois separamos as melhores dicas para você otimizar os seus processos e alavancar a sua marca na internet.

O que é tráfego pago?

Tráfego direto, como já diz o próprio nome, é todo o tráfego dirigido diretamente ao seu site, por meio da sua URL, ou seja, chegam no site sem passar por outros meios. Eles já o conhecem e sabem o que procurar. Assim como as marcas da imagem abaixo, em que provavelmente você digitaria o site delas diretamente no navegador:

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Esse interesse do usuário parte por conta da força da sua marca, de um projeto ou até mesmo pelo seu nome e a importância que ele tem em uma área específica. Assim, quando o visitante digita http://www.suaempresa.com.br, consideramos como tráfego direto. Porém, essa explicação, pode ser considerada muito rasa. Mas, vamos chegar lá.

Este tipo de tráfego é feito a partir de campanhas de links patrocinados, que são anúncios personalizados e disponibilizados em determinadas plataformas, como o Google Analytics, Google Adwords, Facebook Ads, LinkedIn Ads e anúncios no YouTube são alguns exemplos.

Dessa forma, você pode criar anúncios e atingir um público específico, alcançando acesso rápido a sua página. A segmentação é um grande diferencial nesta categoria, já que anúncios direcionados para o público certo aumentam as taxas de conversão.

O problema de tentar definir o tráfego direto é que algumas das origens mais comuns delineiam apenas uma pequena porcentagem de onde o tráfego está vindo. O tráfego geralmente vem de outras fontes mais definidas, mas devido a erros de rastreamento – ou se a plataforma do Google Analytics não for capaz de processar a fonte real – os dados são simplesmente agrupados na categoria “Tráfego Direto”.

Abaixo estão alguns casos em que o GA não consegue identificar a origem de seu tráfego:

  • Cliques em links de emails (dependendo do provedor de email do usuário);
  • Cliques em links em Microsoft Office ou documentos PDF;
  • Acessos ao site provenientes de links encurtados (dependendo do encurtador de link utilizado);
  • Cliques em links de aplicativos mobile de redes sociais;
  • Acesso a um site “não-seguro” (protocolo http), vindo de um site “seguro” (protocolo https), já que o site seguro não passa a informação de origem de tráfego para o site não-seguro;
  • Campanhas em redes sociais, email marketing, anúncios pagos, ou qualquer outra forma de linkagem em que a URL não está com os parâmetros de origem definidos corretamente.

Como posso ter certeza de que minhas fontes estão sendo rastreadas corretamente?

Não há uma maneira clara de garantir que todas as suas métricas sejam precisas, mas há maneiras de intensificar seus esforços para garantir que todas as origens de tráfego sejam bem definidas.

Uma boa medida é acompanhar cada campanha de marketing digital, incluindo os links associados a elas e o tempo de cada uma. Por exemplo, você pode notar que há um aumento em sua porcentagem de tráfego direto quando uma campanha está em execução.

Outra coisa que pode ajudar a redefinir as origens de tráfego é reconfigurar seu site para ele ser executado em uma rede segura usando HTTPS. Como muitos sites são seguros hoje em dia, você aposta uma chance melhor de coletar os dados mais precisos.

Além disso, certificar-se de que todos os códigos de rastreamento sejam o mais precisos possível é uma boa maneira de evitar erros de origem de tráfego e garantir que o tráfego direto real seja marcado como tal.

Parâmetros UTM e códigos UTM também podem ser extremamente úteis quando adiciona a atribuição correta ao e-mail ou campanhas sociais. Ao marcar a campanha como o canal correto, é possível obter mais informações sobre o tráfego que, de outra forma, seria marcado somente como “Direto”.

Como usar o tráfego direto a meu favor?

1. Coloque o endereço de seu site nos canais digitais

Suas redes sociais, aplicativos e outros canais devem ter o endereço de seu site visível e fácil de encontrar. Quanto mais divulgar o endereço completo do site, maiores as chances de aumentar o tráfego direto. 

2. Coloque o endereço em meios offline

O mesmo vale para canais offline: cartões de visita, informativos, flyers, entre outros materiais que sua empresa distribuir.

3. Escolha um endereço fácil de lembrar

Se o nome de seu site for de fácil memorização, as chances de que as pessoas lembrem dele aumentam. Por isso, trabalhe em um bom domínio e considere adquirir outros que possam ser similares.

Como usar o tráfego direto em suas estratégias de marketing?

O marketing digital tornou-se mais um canal para aquisição de clientes. E ele próprio possui seus canais, com suas características próprias e com suas métricas específicas. No mundo digital, os canais estão muito mais ligados à interação de uma marca com o cliente do que a entrega final do produto.

Dessa forma, conhecer esses canais e dominar o seu uso é essencial para aumentar o ROI de suas campanhas de marketing e também da venda de seus produtos/serviços.

Além disso, é fundamental criar anúncios com uma mensagem clara, relevante e adequada para o usuário que deseja atingir por meio dos canais apropriados. Essa é uma estratégia a ser considerada na hora de definir os detalhes da campanha para garantir melhores resultados.

Porque o tráfego direto é importante? 

Muitas vezes, esses visitantes já tiveram contato com o seu site e apresentam menos resistência à compra. Por esse motivo, as estratégias de marketing costumam ser eficazes, ampliando o desempenho de cada um de seus canais de tráfego. 

Visibilidade e tráfego verdadeiramente direto

Embora a métrica de tráfego direto possa ser complicada, há uma parte de seu tráfego direto por definição. 

Olhar para suas páginas de destino pode ser um sinal positivo de uma fonte legitimamente direta, já que homepages e URLs com caminhos curtos de página provavelmente serão digitados em um navegador. 

Na realidade, grandes marcas tendem a ter maiores volumes de tráfego direto em comparação com empresas menores devido aos diferentes níveis de reconhecimento da marca. 

Como usar o tráfego direto para determinar a força da marca?

Usar o Google Analytics para definir quão bem os visitantes “conhecem” sua marca e têm probabilidade de converter é melhor determinado pelas seguintes fontes:

1- Tráfego direto que, por definição, é “direto”. 

Se os visitantes acessarem diretamente as páginas iniciais e outras páginas prováveis do seu site, elas serão consideradas tráfego legitimamente direto. 

2- Tráfego orgânico para a página inicial.

Isso inclui pessoas que pesquisam nomes de marcas e clicam em um link da página inicial na página de resultados do mecanismo de pesquisa.

3- Tráfego de campanhas de pesquisa paga que indicam uma pesquisa de marca. 

Semelhante ao tráfego orgânico acima, são pessoas que clicam em anúncios pagos de marca.  

Essa não é a única maneira de determinar o quanto as pessoas conhecem sua marca, mas é a maneira mais fácil de usar o Google Analytics para saber quantos visitantes sabem seu nome. 

Além disso, dê importância a URL do seu site. O conhecimento de marca, ou seja, o bom trabalho de branding, irá resultar em um resultado positivo no tráfego gerado diretamente. Portanto, ter uma URL de fácil memorização e um forte trabalho em torno de sua marca fará com que o tráfego direto tenha um resultado promissor.

Lembre-se: entender a origem do tráfego é fundamental para criar estratégias de marketing digital consistentes. 

Embora nem todos os mistérios por trás do tráfego direto possam ser descobertos, a implementação de algumas das técnicas listadas é uma ótima maneira de diminuir os contratempos do seu site e ajudar a medir o desempenho de sua estratégia de marketing corretamente.

Porém, o que deve ficar de aprendizado é para que você não deve simplesmente interpretar o Tráfego Direto como “aquele quando um usuário digita o seu site direto no buscador ou salvou a página nos Favoritos”.

Você já teve alguma situação em que notou que o tráfego direto era, na verdade, um erro de interpretação do GA? Deixe um comentário abaixo com sua experiência no assunto!

Conheça a Staage.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

MAIS LIDAS